Como prevenir fraudes de cartão de crédito

Brasil lidera fraudes com cartões de crédito; veja dicas para evitar o golpe

O Brasil lidera o ranking mundial de fraudes com cartão de crédito. De acordo com o Relatório Anual 2020 de Atividade Criminosa On-line no Brasil, elaborado pela empresa de cibersegurança Axur, o País acumulou 45% do total de casos registrados no mundo no último ano.

Com a popularização da Internet nos últimos anos no Brasil, o e-commerce nacional cresceu exponencialmente e, como consequência disso, houve um aumento na quantidade de transações online – compra e venda – com cartões de crédito. Seguindo essa curva de crescimento, o volume de fraudes em compras efetuadas também aumentou.
É de extrema importância que as empresas emissoras de cartão de crédito estejam preparadas para este tipo de crime, monitorando constantemente o comportamento de utilização dos cartões. Um exemplo de caso suspeito é a de um cartão de crédito que, normalmente, tem gasto médio de mil reais mensal, mas, em um único dia, apresente uma sequência de compras que superem esse valor. Outro indício de fraude é um cartão que efetua uma série de transações em um período curto de tempo. Comportamentos que diferem dos hábitos de consumo daquele cliente sinalizam para possíveis fraudes.

O grande número de consumidores usando a internet para comprar e fazer transações financeiras, a falta de malícia do brasileiro e as leis fracas para inibir os crimes virtuais contribuem para o crescimento desse tipo de golpe. Das 10 instituições com maiores números de vazamento, sete são nacionais.

Diante desse grande número, a É SEGURO PAY reuniu informações para ajudar a evitar esse tipo de problemas:

  1. Nunca fornecer ou confirmar informações como CPF e número do cartão para uma pessoa que ligue se identificando como funcionário da central de atendimento da instituição.
  2. Nunca gerar uma imagem do cartão, seja por foto ou por scanner. Os dados relevantes para uma compra estão impressas no cartão.
  3. Nunca informar os dados de cartão para um site não criptografado. Sites de lojas populares são os mais clonados.
  4. Apague os 3 dígitos do código que fica no verso do cartão e guarde em lugar seguro para quando for fazer compras.
  5. Não clique em links suspeitos e tenha cuidado ao acessar páginas de lojas. Muitos criminosos criam sites falsos idênticos as verdadeiros.
  6. As instituições bancárias têm oferecido cartão digital para comprar on-line.  Ative essa função.
  7. Peça para ser informado via mensagem de texto toda vez que houver transação no seu cartão.

    Caso você passe por uma situação desse tipo, a primeira dica é registrar um Boletim de Ocorrência. “Cada caso será analisado pela instituição, mas é possível que você tenha ressarcimento em eventual fraude”, explica o advogado especialista em direito digital Luiz Augusto D’Urso.

    O melhor é mesmo se prevenir, conte conosco!